Surto de Sarampo em 2019





O QUE É SARAMPO?

AUTORA : RAQUEL PITCHON

Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria ( SBP)

Especialista em Alergia e Imunologia Pediátrica pela SBP

Especialista em Alergia e Imunologia pela Associação de Alergia e Imunopatologia

Mestre na área da Saúde da Criança e Adolescente pela Universidade Federal de Minas Gerais

Professora da Faculdade de Medicina de Ciências Médicas de MG

 

O sarampo é uma doença causada por um vírus altamente contagioso encontrado em todo o mundo. As pessoas contraem por via respiratória ao inalar o vírus do sarampo que se espalha quando uma pessoa infectada tosse, respira ou fala. Você pode contrair sarampo apenas por estar na mesma sala que uma pessoa infectada..

Vários países e entre eles o Brasil, têm experimentado um aumento nos casos de sarampo relacionados a casos importados de outros países trazidos por imigrantes, pessoas infectadas em viagens internacionais, entre outras causas.

 

SINTOMAS DO SARAMPO

Os sintomas do sarampo incluem febre alta, erupção cutânea generalizada que se manifestam com manchas vermelhas na pele, coriza, olhos avermelhados e lacrimejantes, tosse, diarreia e dor de ouvido. O tempo médio entre a exposição ao vírus do sarampo e o desenvolvimento dos sintomas geralmente é de 10 a 12 dias, mas pode variar de sete a 21 dias.

O QUE POSSO FAZER PARA PROTEGER MEU FILHO E MINHA FAMÍLIA?

Existe uma vacina para proteger contra o sarampo. A vacina é administrada como parte de uma vacina combinada, denominada vacina TRÍPLICE VIRAL OU MMR, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

 

CRIANÇAS  DEVEM  SER VACINADO CONTRA O SARAMPO?


Todas as crianças acima de um ano devem receber duas doses da vacina com intervalo mínimo de 30 a 90 dias.

Em épocas de surto da doença , como está ocorrendo no Brasil no ano de 2019 , as crianças são imunizadas a partir de seis meses de vida com uma dose extra , chamada dose zero ou D Zero. Após um ano de idade a criança seguirá normalmente o seu calendário de vacinação e receberá mais duas doses da vacina com 12 e 15 meses de idade.

 

QUAIS ADULTOS E IDOSOS DEVEM SER VACINADOS CONTRA O SARAMPO?

Os adultos nascidos em 1957 ou mais tarde, que não têm contraindicação médica, devem receber pelo menos uma dose da vacina, a menos que possuam documentação de vacinação com pelo menos uma dose da vacina contendo sarampo ou outra evidência aceitável de imunidade à doença.

Aqueles que nasceram antes de 1957 , provavelmente são imunes à doença , mas cada caso deve ser avaliado individualmente.

Acadêmicos de faculdades e universidades, profissionais de saúde e viajantes internacionais correm um risco maior de sarampo e devem receber duas doses da vacina para garantir proteção adequada.

SEGURANÇA DE VACINAS

A vacina triplíce viral ou MMR é muito segura e altamente eficaz, com poucos efeitos colaterais. Foram relatadas reações leves como febre, vermelhidão ou inchaço no local da injeção. Mulheres adultas raramente apresentam sintomas articulares.

Como qualquer outro medicamento, existem riscos muito pequenos para reações adversas graves após a vacina. No entanto, os riscos potenciais associados ao sarampo, caxumba e rubéola são muito maiores.

A vacina Triviral NÃO DEVE ser administrada a pessoas grávidas ou gravemente imunossuprimidas ou com quadro febril agudo. Não é aconselhável a aplicação conjunta da vacina triviral e a de febre amarela.

 

FATOS SOBRE DOENÇAS E VACINAS

FATO: O sarampo pode ser evitado com uma vacina segura e eficaz.

FATO: O risco de morte por sarampo é maior em adultos e lactentes até dois anos do que em crianças maiores.

FATO: As mulheres grávidas que contraem sarampo têm um risco aumentado de parto prematuro, aborto espontâneo e bebês com baixo peso ao nascer.

FATO: O sarampo é contagioso até quatro dias antes do aparecimento da erupção cutânea. O doente continua o contágio até 4 a 6 dias após o aparecimento do exantema.

FATO: O sarampo pode causar pneumonia com risco de morte, meningoencefalite , infecção no ouvido médio, diarreia grave e, às vezes, morte.

FATO: Os surtos de sarampo afetam principalmente aqueles que não foram vacinados com a vacina Triviral (sarampo-caxumba-rubéola).

FATO: Globalmente, o sarampo continua endêmico, resultando em 164.000 mortes a cada ano.

 

 

 

Centers for Disease Control and Prevention (CDC)